;
Este é um ambiente dedicado ao estudo da consciência em seus mais variados estágios de evolução e, principalmente, no estágio em que adquirimos a possibilidade de nos manifestar na forma humana. Por isso, decidimos dedicar nossa atual reencarnação para aprofundarmos o nosso autoconhecimento e ajudarmos outros irmãos que também necessitam de esclarecimento, e assim nos tornarmos cada vez mais conscientes de nós mesmos, de nossa bagagem evolutiva, adquirindo mais conhecimentos e experiências através dos quais possamos construir as “sinapses” capazes de nos “revelar” novas realidades, ou melhor, de nos revelar a verdadeira realidade, abandonando as ilusões a que estamos fixados por tanto tempo.

Marcadores

A Fé Que Transporta Montanhas A Gênese A Lei Divina ou Natural A Preocupação Com a Morte A Relevância do Passado Para o Presente A Vida A Vontade Ação dos Espíritos Sobre a Matéria Allan Kardec Alma do Mundo Amai os Vossos Inimigos Amar o Próximo Como a Si Mesmo André Luiz Ano I - Abril de 1858 - Nº 1 Ano I - Janeiro de 1858 - Nº 1 Ante os Novos Tempos Antigos e Modernos Sistemas do Mundo Apartamento As Causas Primárias As Escolas de Pensamento As Leis Morais As Potências da Alma Autodescobrimento: Uma Busca Interior Autoridade da Doutrina Espírita Bairro Cocó Bairro De Lourdes Bairro Joaquim Távora Bairro Meireles Beira Mar Bem-Aventurados os Aflitos Bem-Aventurados os Mansos e Pacíficos Bem-Aventurados os Misericordiosos Bem-Aventurados os Pobres de Espírito Bem-Aventurados os Puros de Coração Biografia de Allan Kardec Camille Flammaron Caminho Verdade e Vida Caracteres da Revelação Espírita Casa Casa nas Dunas Casa Plana Centros de Força Chico Xavier Circulação da Matéria Complexidades da Energia Concepções da História Científica Controle Universal do Ensino dos Espíritos Convite ao Bem Corretor Criação Das Manifestações Espíritas Desobsessão Deus Deus na Natureza Diferentes Naturezas de Manifestações Divaldo Pereira Franco Dos Espíritos Doutrina das Penas Eternas Duane P.Schultz & Sydney Ellen Schultz EADE - Antecedentes do Cristianismo EADE - Cristianismo e Espiritismo EADE - Evolução do Pensamento Religioso Edifício Saint Martin EEM - Evolução Histórica da Mediunidade EEM - Fundamentos ao Estudo da Mediunidade EEM - Mediunidade: Estudo e Prática Elementos Gerais do Universo Emmanuel Encarnação dos Espíritos Entre a Terra e o Céu ESDE - Espiritismo ou Doutrna Espírita - Conceito e Objeto ESDE - Introdução ao Estudo do Espiritismo ESDE - O Contexto Histórico do Século XIX na Europa Espiritismo Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita - EADE Estudo e Educação da Mediunidade - EEM Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita - ESDE Estudos Extras Explicação Filosofia Espírita Flat Fonte Viva Forças Contextuais na Psicologia Fortaleza Frederico Júnior Há Muitas Moradas na Casa de Meu Pai Henry Sausse História da Psicologia Moderna Horizontes da Mente Imóveis Interação Mente-Corpo Intervenção dos Espíritos no Mundo Corpóreo Introdução Introdução à Primeira Edição Publicada em Janeiro de 1868 Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita Ipeak Jesus e Vida Joana D'Arc Joana D'Arc Médium Joanna de Ângelis João Nunes Maia Joe Dispenza Léon Denis Mansão Mansão nas Dunas Marcos do Desenvolvimento da Psicologia Moderna Mecânica Quântica Mensagens de Allan Kardec Método Meu Reino Não é Deste Mundo Miramez Missão dos Espíritas Missionários da Luz Mobiliado Muitos os Chamados e Poucos os Escolhidos Mundo Espírita ou Dos Espíritos Não Vim Destruir a Lei Naturalista Ninguém Pode Ver o Reino de Deus Se Não Nascer de Novo No Invisível Noções Preliminares Notícias Históricas O Amor O Amor - Dom Dvino O Bem e o Mal O Céu O Céu e o Inferno O Cristo Consolador O Critério da Doutrina dos Espíritos O Desenvolvimento da Psicologia Moderna O Despertar da Consciência - Do Átomo ao Anjo O Estudo da História da Psicologia O Evangelho Segundo o Espiritismo O Futuro e o Nada O Inferno O Livro dos Espíritos O Livro dos Médiuns O Papel da Ciência na Gênese O Pensamento O Problema do Ser O problema do Ser do Destino e da Dor O Purgatório O Ser Real Objetivo Dessa Obra Obreiros da Vida Eterna Os Dados da História Personalista Prefácio Princípio Vital Prolegômenos Psicologia Psicologia Humanística Psicologia Transpessoal Psicossíntese Que a Mão Esquerda Não Saiba o Que Faz a Direita Quem Serve Prossegue Revista Espírita Roberto Assagioli Rua Bento Albuquerque Saúde Sociedade Espírita Fraternidade Sócrates e Platão Precursores da Doutrina Cristã e do Espiritismo Trabalhadores da Última Hora Triplex Uranografia Geral Vida Feliz Wilhelm Wundt

Pesquisar este blog

sábado, 13 de maio de 2017

Entre a Terra e o Céu, Chico Xavier, André Luiz (Espírito), Prefácio

ENTRE A TERRA E O CÉU

PREFÁCIO

Desta história, recolhida por André Luiz entre a Terra e o Céu, destacam-se os impositivos do respeito que nos cabe consagrar ao corpo físico e do culto incessante de serviço ao bem, para retirarmos da romagem terrena as melhores vantagens à vida imperecível.

Neste livro não somos defrontados por qualquer situação espetaculosa; nem heróis, encarnando virtudes dificilmente acessíveis; nem anjos inabordáveis.

Em cada capítulo, encontramos a nós mesmos, com nossos velhos problemas de amor e ódio, simpatia e desafeto, através da cristalização mental em certas fases do caminho, na penumbra de nossos sonhos imprecisos ou na sombra das paixões que, por vezes, nos arrastam a profundos despenhadeiros.

Em quase todas as páginas, temos a vida comum das almas que aspiram à vitórias sobre si mesmas, valendo-se dos tesouros do tempo, para a aquisição de luz renovadora.

Aqui, os quadros fundamentais da narrativa nos são intimamente familiares...

O coração aflito em prece;

A mente paralisada na ilusão e na dor;

O lar varrido de provações;

A senda fustigada de lutas;

O desvario do ciúme;

O engano da posse;

Embates do pensamento;

Conflitos da emoção.

E sobre a contextura dos jatos puros e simples paira, por ensinamento central, a necessidade de valorização dos recursos que o mundo nos oferece para a reestruturação do nosso destino.

Em muitas ocasiões, somos induzidos a fitar a amplidão celestial, incorporando energia para conquistar o futuro; entretanto, muitas vezes somos constrangidos a observar o trilho terrestre, a fim de entender o passado a que o nosso presente deve a sua origem.

Neste livro, somos forçados a contemplarmos por dentro, no chão de nossas experiências e de nossas possibilidades, para que não nos falhe o equilíbrio à jornada redentora, no rumo do porvir.

Dele surge a voz inarticulada do Plano Divino, exortando-nos sem palavras:

– A Lei é viva e a Justiça não falha! Esquece o mal para sempre e semeia o bem cada dia!...

Ajuda aos que te cercam, auxiliando a ti mesmo! O tempo não para e, se agora encontras o teu “ontem”, não olvides que o teu “hoje” será a luz ou a treva do teu “amanhã”!...

EMMANUEL
Pedro Leopoldo, 23 de janeiro de 1954.

XAVIER, F. C.; ANDRÉ LUIZ (Espírito). Prefácio. In: Entre a Terra e o Céu.

Horizontes da Mente, João Nunes Maia, Miramez (Espírito), Capítulo 34 - Centros de Força

HORIZONTES DA MENTE

CAPÍTULO 34 - CENTROS DE FORÇA

Os centros de força são como glândulas do espírito, conglutinadas no perispírito, em íntima relação com o mundo endócrino. E este domina, quase por completo, o universo celular. Realmente é fascinante o estudo desses campos de força, mas a ignorância da humanidade empana essa sabedoria divina. O estudante interessado nesses conhecimentos deve buscar, em todas as fontes, algo que possa fornecer-lhe o que ele desconhece. Cada divisão espiritualista está incumbida de revelar um prisma da verdade, sendo que um grupo sempre difere do outro, no tocante à exposição das suas experiências. Mas todos são úteis para os que se vinculam pela sintonia e se amarram por necessidades iguais.

Os chakras são reatores espirituais que transformam o éter cósmico em fluidos compatíveis com a natureza humana. O seu retraio científico só será conhecido com a liberação do tempo e o crescimento da evolução coletiva. Os espíritos superiores regulam os conhecimentos que descem para a Terra, de acordo com o padrão moral e espiritual das criaturas.

Poucos encarnados conhecem a ciência espiritual mais acentuada, fugindo à norma comum, dados os dons que possuem e a pesquisa que fazem, por intuição. Quando deparam com a revelação, que desce na época aprazada sente que, para si, não é novidade. Todavia, por intermédio dela, encontram elementos para avançar mais além do ponto em que se encontravam.

É bom que saibais da influência dos pensamentos em toda a orquestração dos centros de força. O vértice coronário é o mais sagrado e está no topo craniano, influenciando todos os outros, como fornecendo o material divino para que a alma possa pensar, plasmando nessa substância suas emoções e irradiando-as para todo o organismo. O subconsciente, igualmente, faz cumprir sua programação no laboratório biológico e atende a todos os sinais de pedidos computados pelo cérebro de conformidade com as suas posses.

Cada célula física tem seu duplo espiritual irremovível, e, ligando-as, um microcentro de força, transformador de energia, que corresponde aos anseios de todo o metabolismo celular, cuja amplitude energética e engenhosa daria para assombrar os citólogos, se estes conhecessem seus fundamentos. Considerando que o corpo físico é uma maravilha do universo, o que pensar do corpo espiritual em relação a ele, se pudesse ser visto, em sua plenitude, pelos homens? Comprazer-se-iam, em pleno êxtase, e perturbariam sua consciência. É por este motivo que a revelação obedece à gradação espiritual da coletividade.

Os vértices dos centros de força são conglutinadores de energias condicionadas, de acordo com a missão de cada um. São como indústrias, cujos frutos são filhos da programação. E para que os frutos possam mudar, é justo que mudemos o programa. Tudo pode mudar em nosso corpo. Ele obedece à mente de modo espetacular. Quanto mais evoluído o espírito, mais o mundo físico é seu vassalo. 

Ordenai os pensamentos, harmonizai as ideias, limpai a área mental, fecundai as emoções com o amor, com o perdão, com a caridade, com a alegria, com a prudência, com a fraternidade, com a tolerância, com o trabalho, que vereis uma reconstrução mais rápida do que pensais, porque os pensamentos remodelarão toda a estrutura psíquica, espiritual e, certamente, orgânica, e a vida começará a esplender como um sol, fazendo desaparecer as brumas da consciência.

Cuidai bem da palavra, pois essa música que entoais pelos lábios todos os dias, é formada de riquezas da vida, que passaram por forjas inumeráveis do todo, aprimorando-se aqui e ali, para dar condições de permutar experiências e dignificar os ideais. Eis a responsabilidade! O verbo sai revelando o que se passa no mundo íntimo de quem o pronuncia.

Conhecer é muito bom, não obstante a consciência nos acuse, com mais intensidade, se fecharmos os olhos diante da luz.

MAIA, João Nunes.; MIRAMEZ (Espírito). Centros de Força. In: Horizontes da Mente. Capítulo 34.

Postagens mais visitadas