;

Tags

A Clarividência e a Escrita Direta A Divina Unidade A Fé Que Transporta Montanhas A Gênese A Grande Síntese A Oração A Providência A Rede da Vida A Vida A Visão de Deus A Vontade Allan Kardec Alma do Mundo Alquimia da Mente André Luiz Ano I - Abril de 1858 - Nº 1 Ano Novo Ante os Novos Tempos As Potências da Alma As Qualidades de Deus Associação Autodescobrimento: Uma Busca Interior Bases Científicas do Espiritismo Bases Para a Autorrealização Camille Flammaron Capital Financeiro Capitalismo Caracteres da Revelação Espírita Células e Corpo Espiritual Centelha Divina Centros de Força Cérebro e Mente Chico Xavier Circulação da Matéria Complexidades da Energia Complexo-R Consciência Consciente e Inconsciente Considerações Sobre a Origem do Câncer Convite ao Bem Crenças Da Natureza Divina David Harvey Desobsessão Deus Deus e a Criação Deus na Natureza Divaldo Pereira Franco Economia Em Busca da Verdade Emmanuel Entre a Terra e o Céu Epes Sargent Escolha da Espécie Espiritismo Estudando a Mediunidade Estudos Extras Evolução em Dois Mundos Existem Espíritos? Existência de Deus Filosofia Espírita Fisiologia da Alma Fonte Viva Francisco Espírito Santo Neto Governo Interno Hammed Hélio Couto Hercílio Maes Hermínio Correia de Miranda Horizontes da Mente Horizontes da Vida Immanuel Wallerstein Instinto de Conservação Interação Mente-Corpo Introdução Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita Jesus e Vida Joana D'Arc Joana D'Arc Médium Joanna de Ângelis João Nunes Maia Ladislau Dowbor Léon Denis LIbertação do Sofrimento Mecânica Quântica Mensagens Devidas aos Invisíveis Mentalidade Reptiliana Método Miramez Missão dos Espíritas Missionários da Luz Monismo Muitos os Chamados e Poucos os Escolhidos Neoliberalismo No Invisível Noções Preliminares Nos Domínios da Mediunidade O Amor O Amor - Dom Dvino O Cristo Consolador O Critério da Doutrina dos Espíritos O Despertar da Consciência - Do Átomo ao Anjo O Evangelho Segundo o Espiritismo O Gênio Céltico O Grande Enigma O Inconsciente - Território de Nossas Ignorâncias O Livro dos Espíritos O Livro dos Médiuns O Maravilhoso e o Sobrenatural O Mundo Invisível O Pensamento O Pensamento Criador O Problema do Ser O problema do Ser do Destino e da Dor O Ser Humano em Crise Existencial O Ser Humano Pleno O Ser Real O Sistema Obreiros da Vida Eterna Os "Exageros do Cérebro Pão Nosso Pensamento e Vida Pietro Ubaldi Plutocracia Prefácio Princípio Inteligente Quem Serve Prossegue Ramatis Reflexões Sobre Deus Revista Espírita Saúde Serviço de Passes Significado do Ser Integral SIstemas Solidariedade - Comunhão Universal Substância Primitiva Tao Te King Toni Negri Trabalhadores da Última Hora Um Modo de Entender: Uma Nova Forma de Viver Unidade Substancial do Universo Usina Humana Vida Feliz Vida: Desafios e Soluções Zona de Conforto

Pesquisar este blog

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Saúde, João Nunes Maia, Miramez (Espírito), Capítulo 13 - O Amor, Dom Divino

SAÚDE


CAPÍTULO 13 - O AMOR, DOM DIVINO

O amor nos faz lembrar da fonte verdadeira de onde ele dimana com todo o seu esplendor. O amor é qual o sol, que na sua pujança de doar se divide em raios incontáveis e serve sem especular, serve sem exigir e sem pedir o retorno dos mesmos recursos que foram ofertados aos carentes dessas bênçãos. Esse afeto divino desce até nós na expressão mais rudimentar que se possa entender, para que compreendamos o Criador, sem nos esquecermos do Cristo no nosso aprendizado.

A cura verdadeira vem pelos fios do amor em todas as suas ramificações do saber. A sabedoria assinala na Terra a presença do amor, através de inúmeras escolas e variadas academias de ensino.

As religiões se entrelaçam para cuidar das almas em diversas escalas da elevação espiritual, mesmo apresentando divisões, por causa dos homens. É a força do amor que sustenta todas essas comunidades.

A filosofia não tem existência sem o amor; a política procura nele o seu sustento nas horas de aflições; o lar não vive sem os princípios do amor e as nações trocam essa força divina para se manterem de pé. O universo canta a melodia do amor em todas as suas dimensões. Cabe a nós outros entender esse patrimônio, essa herança a nós oferecida pelo Pai Celestial.

Se nós desejamos a cura das nossas enfermidades, congênitas ou adquiridas por falta de respeito às leis naturais que, regem nossa vida, o primeiro passo é amar, o segundo é amar e o terceiro, amar. Partindo desse princípio, não erramos o caminho que nos leva à harmonia interna, porque ele nos predispõe à paz de consciência e dá diretrizes a todos os sentimentos, corrige as ideias e aprimora as palavras.

O amor é um dom divino, por ser um atributo da divindade que se manifesta em toda a criação. Quem não sente o amor perfumando um jardim, no silêncio peculiar às árvores? Quem não sente o amor florescendo e expandindo nas crianças? E nos homens que se afinizam? Ele brilha nas estrelas e cai com as chuvas. Ele caminha nos ventos e se manifesta no fogo. Ele vos espera nos livros e vos beneficia nas escolas. Ele, de qualquer maneira, mostra a sua presença no lar; vive no místico e leva o espírito ao êxtase. Ele entra em vossa cabeça e sai por vossa boca. Ele é, também, Saúde. Se podeis compreender, ele é a própria vida, vibrando na vida de Deus.

Quando conversardes com alguém, se mantiverdes os pensamentos no amor e sentirdes essa força saindo de vós em direção a quem vos ouve, fareis prodígios e a prática mostrar-vos-á o quanto podereis fazer a mais em favor da paz de todos os seres.

Essa força de Deus, para manifestar por vosso intermédio, requer do vosso coração o ambiente de fé e a atmosfera de alegria. Se os homens soubessem o quanto é importante para a sua felicidade a disposição para amar, se as criaturas descobrissem o tesouro que todos carregam ao alcance das mãos, nunca reclamariam da vida, nem se preocupariam com problemas. O mal se organizou na Terra por falta de amor nas almas que aqui vivem.

Deveis usar um meio que vos colocará em contato com o suprimento do amor maior: a humildade, através da oração, sem vos esquecerdes das,muitas portas que se abrem neste sentido, pela prática da Caridade.

O Cristo foi, é e sempre será para todos nós, o Mestre por excelência, que nos ajuda a despertar esse dom grandioso em nossos corações. Se desejais saúde, meu irmão, procurai entender a farmacopeia de Deus, que sempre está presente em vós, utilizando o poder fantástico desse complexo que se chama carinho-afeto-sintonia-alegria-compreensão-fraternidade-brandura, unidos pelo excipiente supremo: o Amor.

MAIA, J. N,; MIRAMEZ (Espírito). O Amor, Dom Divino. In: Saúde. Capítulo 13

Desobsessão, Chico Xavier, André Luiz (Espírito), Capítulo 72 - Estudos Extras

DESOBSESSÃO

CAPÍTULO 72 - ESTUDOS EXTRAS

É forçoso que os seareiros da desobsessão não se circunscrevam, em matéria de atividade espírita, aos assuntos do grupo.

A fim de enriquecerem o próprio grupo com valores necessários à educação coletiva e à renovação de cada companheiro, é imprescindível aceitem o estudo nobre, qualquer que ele seja, nos arraiais da Doutrina Espírita ou fora deles, para que progridam em discernimento e utilidade na obra de recuperação que lhes cabe, iluminando convicções e dissipando incertezas.
                                               
Aprender sempre e saber mais é o lema de todo espírita que se consagra aos elevados princípios que abraça.

E na faina da desobsessão é preciso entesouremos conhecimento e experiência, para que os instrutores Espirituais nos encontrem maleáveis e proveitosos na extensão do bem que nos propomos cultivar e desenvolver.

Xavier F. C., André Luiz (Espírito), Estudos Extras, In: Desobsessão. Capítulo 72.